Vencendo barreiras para alfabetizar: o causo de Cássio Brito, em Vargem Grande

Ao supervisionar escolas da Zona Rural, ele relata como as melhorias na alfabetização de crianças têm sido visíveis em toda rede municipal.

A alfabetização não é feita apenas pelos professores que estão em sala de aula. Para o sucesso da aprendizagem, é necessária uma grande rede de apoio que oferece desde atividades pedagógicas inovadoras, avaliações continuadas, ao suporte técnico e pedagógico. Para que uma criança aprenda a ler e a escrever, é preciso construir um ciclo virtuoso de apoio ao professor, à escola e até mesmo ao município, entidade federativa responsável pela Educação Básica.

O superintendente escolar Cássio Brito faz parte desta teia de suporte às escolas municipais de Vargem Grande (MA), que fica há 175km da Capital, São Luís. Ele coordena pedagogicamente 46 escolas do campo que funcionam com a primeira etapa do Ensino Fundamental. “Justamente por estarem em regiões de difícil acesso, estas são as escolas que mais precisam do nosso apoio. Eu organizo uma agenda de visitas para estar em todas elas, pelo menos, uma vez ao mês”, explica Cássio.

O último dia 12 foi a vez da Escola Municipal Domingos Povoas, que fica na Comunidade Santo Antônio dos Povoas. Um vídeo que mostrou a travessia de Cássio por um riacho para chegar à escola atravessou o Brasil pelas conexões cibernéticas do WhatsApp, como um demonstrativo da importância de perseverar e vencer as barreiras pela alfabetização das crianças.

“A maior parte das escolas que acompanho ainda são com classes multisseriadas, porque não há alunos suficientes para dividir as turmas. Lá na escola de Povoas, é um único professor com 23 alunos, que vão da creche ao 5º ano. Por isso, o nosso apoio externo é tão importante, para dar suporte ao professor que tem esse enorme desafio ao processo de aprendizagem”, pondera o superintendente.

O amor pelo campo, já vem desde criança. Cássio nasceu na comunidade quilombola São Roque (distante 14km da sede do município) e, por isso, sempre escolheu atuar profissionalmente na zona rural. “O que mais me motiva é derrubar essas diferenças fortes entre o que oferecemos às crianças da sede de um município e às do campo. Falamos, brigamos e trabalhamos diariamente em busca da equidade. Por mais que a realidade seja difícil, quando chego numa escola e vejo a força de vontade dos professores, de toda a equipe e dos alunos, me dá ânimo para continuar”, fala emocionado.

Apoio do Programa Educar pra Valer (EpV)

O município de Vargem Grande é assessorado pelo Programa Educar pra Valer (EpV), da Associação Bem Comum (ABC), desde 2019. Segundo Cássio, este pacto pela educação tem trazido mudanças visíveis na educação municipal.

“Eu acredito que a maior contribuição desta parceria são as formações de professores, pois elas vêm ao encontro das nossas realidades e necessidades. Elas abrem a visão do docente com um material riquíssimo para ser trabalhado em sala de aula. Eu acompanho as formações e os professores sempre me contam quando usam as experiências da formação na sala de aula, fazendo com que eles se sintam amparados. Acredito que, dessa forma, a docência deixa de ser uma atividade ‘solitária’, para ser parte de uma rede ampla de apoio à aprendizagem da criança. E já temos diagnósticos mostrando que o avanço é significativo”, reforça o técnico.

Atualmente, o EpV apoia 48 municípios brasileiros por meio de assessoria técnica na implementação de boas práticas de gestão educacional e pedagógica para garantir a excelência da aprendizagem das crianças nas escolas públicas.

No Maranhão, o Programa já alcança mais cinco cidades, além de Vargem Grande: Paço do Lumiar, São José de Ribamar, Timon, Itapecuru Mirim e São Luís. O coordenador assistente do EpV no Estado, Pedro Grandson, explica como foi o pontapé inicial para provocar mudanças tão profundas na educação de Vargem Grande. “Primeiro, houve a decisão sábia da gestão em priorizar a educação. É perceptível para todos hoje, que a educação é o ‘carro-chefe’. Somente assim os bons resultados aparecem. De 2019 para cá, observamos diversas transformações, estruturais, físicas e pedagógicas”, disse.

Ele detalha, ainda, algumas das mudanças positivas que ocorreram na rede municipal de Vargem Grande, com a assessoria da ABC:

·         Seleção de gestores e profissionais por critérios técnicos e meritocráticos;

·         Reestruturação de escolas por meio de reforma, ampliações e aquisição de novos equipamentos e mobílias;

·         Ampliação no número de professores e criação de espaço para reforço escolar e atividades no contra-turno;

·         Criação de um Centro municipal para atendimento especializado a crianças com necessidades especiais;

·         Criação de uma gráfica própria para produzir materiais estruturados do programa, como cadernos de orientações para professores, cadernos de atividades para alunos, avaliações diagnósticas e formativas, dentre outros;

·         Investimento crescente em formação de professores;

·         Melhorias na alimentação escolar: criação um centro específico para preparar a alimentação de toda a rede e que garante a entrega de dois lanches por dia/turno para todas as escolas;

·         Alto índice de participação em avaliações de aprendizagem: Em 2021, garantiram a participação nas avaliações estaduais (SEAMA e PARC) e na federal (Prova Brasil), inclusive com aumento do número de alunos avaliados mesmo durante a pandemia.

Sobral tem sido o principal exemplo para o Município. “Esta cidade cearense é uma referência muito forte para a gestão de Vargem Grande. Eles já a visitaram diversas vezes e, de lá, trazem as ideias e modelos que são adaptados para a realidade local”, disse o coordenador.

Pedro reforça que o conjunto de ações sólidas da gestão ajudou a reduzir os graves danos educacionais com a pandemia. “São passos firmes na direção de mudanças gradativas e que os resultados já começam a aparecer. Claro que tivemos um grande impacto com a pandemia, que atrasa e retrocede a evolução em alguns aspectos, mas acreditamos que estes desafios serão superados rapidamente porque existe uma articulação e engajamento forte de toda a gestão nesta causa”, conclui.

Publicado em 04 de maio de 2022.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Fale conosco

contato@site.abemcomum.org

Avenida Washington Soares, 55 – Sala 707 
Torre Empresarial Iguatemi
Edson Queiroz  | Fortaleza – CE
Cep: 60.811-341

Todos os direitos são reservados a Associação Bem Comum

Desenvolvido por http://www.idesignce.tech/